Dia A Dia Da Economia - Míriam Leitão

Sinopsis

Análise diária dos principais fatos da economia com uma das mais importantes e influentes jornalistas do país.

Episodios

  • Ajuste fiscal na cidade do Rio

    Ajuste fiscal na cidade do Rio

    01/01/2021 Duración: 09min

    Míriam Leitão fala sobre o primeiro dia de Eduardo Paes à frente da prefeitura do Rio. Hoje o Diário Oficial amanheceu com 74 decretos, sendo 44 na área de ajuste fiscal. Comentarista destaca que o prefeito assume com o desafio de cortar os gastos.

  • Bolsonaro sabotou bandeira anticorrupção e não entregou agenda liberal

    Bolsonaro sabotou bandeira anticorrupção e não entregou agenda liberal

    01/01/2021 Duración: 05min

    Míriam Leitão faz um balanço dos dois primeiros anos do mandato do presidente Jair Bolsonaro e destaca que, em relação à agenda econômica que ele prometeu, ele teve 'meio fracasso'. Apesar de ter aprovado a reforma da Previdência, ele não se envolveu pessoalmente. Além disso, o presidente não fez a abertura da economia, não se empenhou em nenhuma outra reforma e não cumpriu a agenda liberal prometida. 'Paulo Guedes frustrou toda a aposta que mercado financeiro fez nele', avalia. Durante a campanha, Bolsonaro também levantou a bandeira contra a corrupção. Nesse quesito, ele 'fracassou totalmente'.

  • O que significa o aumento do salário mínimo?

    O que significa o aumento do salário mínimo?

    31/12/2020 Duración: 09min

    A partir de amanhã o salário mínimo passará a valer R$ 1.100. O atual valor é de R$1.045. Míriam Leitão explica que não se trata de um ganho real para o trabalhador: 'é a inflação!'. 'Houve uma surpresa: a inflação no segundo semestre foi maior do que se esperava', esclarece a comentarista. Miriam explica também que os benefícios contemplados no teto de gastos também sofrerão alterações significativas. 'O custo que eles estão calculando é alguma coisa como 15 bilhões a mais do que o previsto'.

  • Viva a medicina e viva a ciência!

    Viva a medicina e viva a ciência!

    31/12/2020 Duración: 05min

    No último dia do ano, Míriam Leitão destaca o trabalho de profissionais de saúde e cientistas no combate à pandemia. Comentarista critica a postura do Governo Federal em relação às medidas tomadas para o enfrentamento da Covid-19 e ressalta que a vacinação 'é a única porta de saída para garantir a volta do crescimento em 2021'.

  • A equipe econômica trabalhou com o cenário que estaria tudo resolvido

    'A equipe econômica trabalhou com o cenário que estaria tudo resolvido'

    30/12/2020 Duración: 06min

    As contas públicas registraram déficit primário de mais de R$ 18 bilhões em novembro, segundo o Banco Central. No acumulado do ano o valor é de R$ 651 bilhões. 'Já era esperado', explica Miriam Leitão ao citar os gasto com a pandemia. Mas a comentarista criticou o trabalho do Ministério da Economia, prevendo mais dívidas diante do recrudescimento da doença. 'A equipe econômica trabalhou mal durante o ano não prevendo o cenário que está acontecendo nesse final de ano', afirma.

  • Procedimentos da Anvisa precisam ser rigorosos, mas não protelatórios

    Procedimentos da Anvisa precisam ser 'rigorosos, mas não protelatórios'

    30/12/2020 Duración: 06min

    Para Míriam Leitão, a agência 'tem que fazer seu trabalho', mas deveria evitar 'exigências descabidas' que possam atrasar ainda mais o início da vacinação no país. Depois de reclamação da Pfizer, as regras para a aprovação de uso emergencial do imunizante contra a Covid-19 foram simplificadas.

  • Verdadeira taxa de desemprego pode ser ainda maior

    'Verdadeira' taxa de desemprego pode ser ainda maior

    29/12/2020 Duración: 07min

    Míriam Leitão explica que a taxa de desemprego divulgada hoje pelo IBGE, de 14,3%, não leva em conta parte da população que saiu da força de trabalho e não está em busca por trabalho por medo da pandemia. Um estudo feito por Ricardo Ottoni e Ricardo Barboza, sobre os dados até setembro, publicado hoje no "Valor" indicam que a taxa de desemprego “verdadeira” seria de 22,4%.

  • Impacto do fim do auxílio emergencial na economia vai ser devastador

    Impacto do fim do auxílio emergencial na economia vai ser 'devastador'

    29/12/2020 Duración: 05min

    Míriam Leitão lembra que muitas famílias ainda dependem dessa ajuda porque continuam sem emprego e sem renda. 'A responsabilidade disso é do governo', ressalta ela. Para o comentarista, o programa foi feito no improviso, após pressão do Congresso e da opinião pública, e executado de 'forma muito mal feita'.

  • Percepção de inflação alimenta o pessimismo econômico e atitudes conservadoras

    Percepção de inflação alimenta o pessimismo econômico e atitudes conservadoras

    28/12/2020 Duración: 06min

    Míriam Leitão comenta levantamento do Instituto Datafolha, que mostra que 72% dos brasileiros esperam alta da inflação. Ela destaca que, sem o auxílio emergencial, as famílias sentem a inflação ainda mais. A boa notícia é que, em 2021, expectativa dos economistas e do Banco Central é que inflação voltará a reduzir.

  • Atrasar início da vacinação contra a Covid-19 também traz consequências econômicas

    Atrasar início da vacinação contra a Covid-19 também traz consequências econômicas

    28/12/2020 Duración: 05min

    Isso porque quanto mais tempo o país levar para imunizar a população, mais entraves o Brasil terá de encarar mundo afora. 'Os países que estão vacinando vão criar barreiras contra os que não estão, seja para receber turistas ou para fazer negócios', avalia Míriam Leitão. A comentarista destaca ainda o 'mau exemplo' do presidente Jair Bolsonaro. 'A gente aprendeu como sociedade, e o presidente trabalhou no sentido de fazer com que a gente desaprendesse', afirma.

página 2 de 2

Informações: